Arquitetura sustentável: uma boa estratégia para projetos comerciais

3 de maio de 2012Tempo de leitura: 4 minutos

Atualmente, a conscientização a respeito dos recursos naturais é indispensável e, cada vez mais, os consumidores exigem das corporações uma mudança de postura em relação ao assunto.

Acrescentar ações sustentáveis e proporcionar ao público locais com espaços verdes está se tornando uma prática necessária em projetos comerciais. Porém, para uma empresa inserir-se no mundo da sustentabilidade, ela deve apresentar um posicionamento coerente sobre o assunto, uma vez que, com o acesso à internet, o consumidor pode ter diversas informações a respeito da organização, sendo capaz de perceber rapidamente quando um discurso é apenas estratégia de marketing. E, o que era um ponto a favor, passa a contar negativamente para a empresa. 

A sustentabilidade possui três pilares: ambiental, econômico e social. Na arquitetura comercial, o conceito de sustentável está intimamente ligado ao ambiente. A compreensão dos ciclos de vida, das mudanças culturais e os diversos focos que são abordados possibilitam configurar uma multiplicidade de locais habitáveis com melhor desempenho. 

A preocupação com o tema se tornou um diferencial competitivo mas, além disso, gera economia de recursos e agrega valor à marca. Muitas empresas brasileiras já notaram as mudanças e começaram a desenvolver ações sustentáveis. No Brasil, mais de seis mil estão certificadas com Norma ISO 14001, um selo dado às empresas que praticam ações que priorizam a qualidade ambiental nas organizações. As previsões indicam que, no futuro, todas as lojas serão verdes. 

Soluções sustentáveis: como podemos reduzir custos de operação e tornar um empreendimento comercial mais verde

 

 

1. Sistemas automatizados:

A adoção de sistemas automatizados pode proporcionar redução de custos para o empreendimento, tornando a edificação mais eficiente e financeiramente mais atrativa. 

Além de garantir o desligamento total dos equipamentos quando não for necessário para o funcionamento da loja, monitorar o consumo de energia desde o controle do sistema de climatização até a operação de todos os equipamentos de uso específico evita o desperdício. Ainda, com a automatização destes sistemas, é possível ter controle remoto das lojas, até mesmo em cidades diferentes, possibilitando aos empresários evitarem gastos indevidos, retirando assim a responsabilidade dos colaboradores da loja de tomar a decisão de qual é a melhor temperatura e horário para acionar ou desligar para os equipamentos.

 

2. Sistema de Renovação de Ar

Em relação à climatização, podemos contar com um sistema de renovação de ar com sensores de CO2 instalados no ambiente e atuando no inversor de frequência do ventilador, o que diminui a quantidade de ar externo – mais quente –  reduzindo a carga térmica que os equipamentos precisam climatizar. 

Optar por dutos de MPU, altamente sustentáveis desde a sua fabricação e mais eficazes que o duto metálico mais a lã de vidro, pode resultar em uma redução de até 50% por metro quadrado. 

Um ponto de atenção deve estar no coeficiente de desempenho dos equipamentos (COP). Esse é um fator muito importante de ser avaliado na hora da compra, pois a escolha por equipamentos de climatização mais eficientes (em termos de consumo energético) pode ser um grande aliado na sustentabilidade. Até porque, com frequência, o sistema de ar condicionado é um dos grandes vilões do consumo de energia de uma edificação.

 

3. Isolamento térmico inteligente

Outro ponto a ser explorado é a aplicação de um telhado com isolamento térmico inteligente e mantas térmicas sobre lajes já existentes, reduzindo a carga térmica do ambiente e diminuindo o uso de energia para o controle da temperatura. A aplicação de películas nos vidros também se mostra eficaz nesse quesito.

 

4. Iluminação natural e luzes LED

Já na questão de iluminação, podemos otimizar o aproveitamento de luz natural através de soluções como zenitais, clarabóias e grandes janelas – desde que sejam bem avaliadas a posição destes itens para que a orientação solar não acabe elevando a temperatura dentro da edificação o que irá demandar mais potência e consumo do ar condicionado. Além de investir na utilização de luzes LED, que consomem menos energia.  

 

5. Reaproveitamento de água

Soluções como aeradores nas torneiras e vaso com caixa acopladas atuam reduzindo o desperdício de água. Explorar métodos como o reaproveitamento de água da chuva também são aplicações sustentáveis e cada vez mais comuns em empreendimentos.

Mais do que investir em arquitetura sustentável, é preciso comprometer-se com essa nova realidade

A redução de desperdícios e otimização de recursos existentes é uma preocupação necessária. Investir em novas tecnologias, seja na reutilização de materiais, na  preservação de recursos são algumas questões a serem pensadas pelos profissionais envolvidos. 

O aprendizado e a disseminação de boas práticas tornarão as questões ambientais, trabalhistas e a relação de todas as partes interessadas um fator comum entre as empresas de varejo. 

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Tenha o melhor conteúdo sobre arquitetura e urbanização, atualizado e direto no seu e-mail.

Arquitetura para Supermercados: Rollout como tecnologia para expansão de redes

As tendências de consumo são reflexos da situação econômica…

Design for Disassembly: Para construir o futuro é preciso desconstruir

É isso mesmo que você leu: as construções do futuro serão…