ATRAINDO O CONSUMIDOR COM TECNOLOGIA E INTERATIVIDADE

10 de maio de 2012Tempo de leitura: 2 minutos

O conceito de “ponto-de-venda” mudou muito com o passar do tempo. Antigamente, apenas um balcão com um funcionário atrás, que atendia as necessidades dos clientes. Agora o mercado pede que o ambiente seja, além de agradável, interativo para atrair o consumidor.

Ponto-de-venda pode ser definido como o local ou meio no qual a marca entra em contato com o seu público.  Atualmente, os PDVs são como templos das marcas, onde o que conta é a experiência de compra e não apenas o produto a ser comprado.

Com o crescimento do comércio eletrônico (e-commerce), os PDVs físicos podem perder um pouco da sua força se não forem atrativos ao cliente. A vantagem desse tipo de loja é que elas podem atrair sensorialmente as pessoas, além de estimular às compras por impulso.

O e-commerce, os smartphones e os tablets fazem com que as pessoas estejam sempre querendo interagir tecnologicamente no mundo. Lojas equipadas com telas touch, decodificadores QR Code, rastreador sensorial, estão entre as mais visitadas.

Um bom exemplo é a Billabong de São Paulo. Ela é a primeira loja inteligente da América Latina e trabalha com 15 tipos de tecnologia interativa. Entre eles, catálogo inteligente, com tela sensível – que ao movimento das mãos do usuário passa a página -, promoções através de QR Codes e telas touch – onde o consumidor pode chamar o vendedor, verificar tamanhos e cores das roupas ou analisar as combinações que o próprio sistema oferece. Diferenciais que fizeram da loja a principal entre as 650 franquias da marca no mundo, atraindo mais visitantes e compras efetivadas, segundo o seu gerente, Marcelo Chaparini. Além de o consumidor ser seduzido pela interatividade, ele passa a ter maior liberdade dentro da loja, podendo fazer suas escolhas de maneira mais tranqüila.

Para o lojista essa é uma vantagem que garante retorno, sem falar que a maioria das tecnologias usadas nas lojas, como as QR Codes ou outros sistemas de localização, ajudam a ter um melhor desempenho e controle de estoque.

No entanto, ter tecnologia de ponta em seu ponto-de-venda não garante sucesso. Mesmo com toda inovação que ela proporciona nada substitui um atendimento de qualidade.

 

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Tenha o melhor conteúdo sobre arquitetura e urbanização, atualizado e direto no seu e-mail.

Arquitetura para Supermercados: Rollout como tecnologia para expansão de redes

As tendências de consumo são reflexos da situação econômica…

Design for Disassembly: Para construir o futuro é preciso desconstruir

É isso mesmo que você leu: as construções do futuro serão…