ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA EM AEROPORTOS

14 de junho de 2012Tempo de leitura: 5 minutos
Aeroportos são as catedrais dos tempos modernos. Se aquela máxima “a primeira impressão é a que fica” é realmente válida, estes locais passam exatamente essa ideia de quando se chega a um novo lugar. Uma imagem que pode ser inesquecível – para o bem ou para o mau. E a pertinência desse assunto está totalmente ligada ao Brasil, já que em um prazo de quatro anos, vamos receber dois dos maiores eventos esportivos do mundo.
Sabemos que as companhias aéreas, operadoras e agências governamentais precisam de instalações seguras, fáceis de manter, econômicas de operar e capaz de gerar receita máxima. Os passageiros tendem a se concentrar mais na “experiência” de viajar. Desejam comodidade e conforto, bem como instalações e processos que são facilmente compreendidos.
Com a aproximação dos eventos esportivos, que serão sediados no Brasil, estão sendo efetuadas melhorias e ampliações nos aeroportos nacionais. Mas, será que as medidas que estão sendo tomadas são suficientes para colocar o país no patamar necessário, para fazer frente a um mercado globalizado, que viaja e que compara? Cidades importantes investem nos seus aeroportos. Governos dos principais países já entenderam o valor de um bom projeto de aeroporto.
Aeroporto Barajas – Madri, Espanha
O terminal T4, inaugurado em Fevereiro de 2006, foi projetado pelos arquitetos Antonio Lamela e Richard Rogers, ganhador do Prêmio Stirling de 2006 por este projeto. Nele foram investidos seis milhões de euros em 1.200 metros quadrados de superfície, e utilizados 45 mil toneladas de aço. Porém, sua arquitetura destaca-se pela simplicidade, adaptabilidade, robustez e flexibilidade, tendo como objetivo principal transmitir aos seus transeuntes sossego, tranquilidade, calma e leveza.
Sensações estas que foram obtidas com o uso de materiais como o aço integrado com o bambu, que além de ser sustentável, também é um material durável, resistente e dispensa manutenções frequentes. A estrutura do telhado é construída por vigas sinuosas suportadas por um par de pilares em forma de Y que, em conjunto, recriam uma situação de voo. Com este terminal, Madrid ganhou um novo contorno, com muito valor agregado. Uma obra prima!
Aeroporto El Plat – Barcelona, Espanha
Barcelona é uma cidade que recebe 70 milhões de pessoas anualmente. O Aeroporto é um projeto grandioso com o qual a cidade abre mais portas para o turismo em um momento que Espanha enfrenta recessão. O terminal tem dois blocos principais e é ligado ao parque de estacionamento e à estação de trem. Possui 73 lojas, 22 caixas automáticos, cinco empresas de aluguel de carro, 43 bares e restaurantes e oitos salas VIP. Projetado pelo arquiteto Ricardo Bofill, as obras para o novo terminal foram iniciadas em 2005 e receberam um investimento de 1,2 milhões de euros, sendo inaugurado em 2009.
A arquitetura do edifício, desenhado pelo arquiteto, combina um ambiente internacional e multicultural com o brilho e o calor da arquitetura mediterrânea. A transparência, através do uso de grandes áreas envidraçadas, favorece a iluminação natural em todas as áreas para os passageiros, permitindo uma visão ampla das encostas, da vegetação tendo o mar como pano de fundo.
Aeroporto Capital Int. – Pequim, China
Desenvolvido por Norman Foster, o Terminal do Aeroporto Internacional de Pequim 3 é um símbolo grandioso da ascensão da China à proeminência global. Possui quase dois quilômetros de comprimento, sendo o maior aeroporto do mundo, é projetado para ser amplo, aberto e luminoso. Do ar, este aeroporto possui a forma de um dragão, com cores imperiais, tais como o vermelho e o amarelo, simétrico no seu eixo principal. Possui detalhes como um antigo tonel de cobre imperial chinês e um jardim interior – o aeroporto é, inegavelmente, moderno e ao mesmo tempo tradicional à cultura chinesa. É uma das maiores “marcas” olímpicas deixadas para sempre e posicionando a China no centro do palco mundial, reforçando o seu novo status de superpotência.
Além disso, é um edifício com números impressionantes: com uma área de aproximadamente 1,3 milhões de metros quadrados, a maioria sob o mesmo teto, pode receber 70 milhões de passageiros em 2020. O primeiro edifício a quebrar a barreira de um milhão de metros quadrados foi projetado e concluído em apenas quatro anos.
Aeroporto Dubai – Dubai, Emirados Árabes
O aeroporto internacional de Dubai, projeto de Paul Andreu, é um testemunho vibrante do boom que a cidade vive a partir dos últimos anos. Longas colunatas nos espaços internos, pontuados aqui e ali com palmeiras, revestidos em mármore branco e detalhes em dourado, em um estilo que transmite o caráter árabe da região, junto com sua suntuosidade. As maiores marcas de luxo do mundo podem ser encontradas ao longo do vasto interior do aeroporto moderno, luxuoso e que reflete a realidade do que é Dubai.
Aeroporto Bilbao – Espanha
Projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, o aeroporto de Bilbao é muitas vezes chamado de La Paloma, referindo-se ao seu design semelhante a duas asas simétricas e uma ponta levantada no centro. O projeto que flui é predominantemente branco, em estilo Calatrava puro, e está entre os melhores exemplos da arquitetura moderna do País Basco, com sua forma líquida e as linhas limpas. Os espaços internos são bem iluminados, com grandes paredes envidraçadas que circundam toda a área de embarque e desembarque, construindo uma visual especial de toda a pista de decolagem e as montanhas ao redor do aeroporto.
Aeroporto Xangai – China
O Shanghai Pudong International Airport recebe vôos dos EUA, Canadá, Europa, Austrália, América Latina, África… efim, não há nenhuma região no mundo que não possa ser alcançada a partir deste aeroporto. Dois edifícios principais compõem o local, unidos por uma longa avenida de ligação onde estão localizadas as lojas, hotéis, restaurantes, e o impressionante trem MagLev. O trem leva os passageiros do aeroporto ao centro da cidade em menos de 20 minutos, à uma velocidade espantosa. O espaço no interior dos dois edifícios é muito aberta, com tetos altos e estações de check-in situadas como ilhas num mar de mármore branco. O aeroporto é o mais movimentado da China Continental e foi projetado por Paul Andreu.
Aeroporto Kuala Lampur – Malásia
Alimentada pelo crescimento econômico e o orgulho nacional, a Malásia fez o seu maior aeroporto Kuala Lumpur International Airport (KLIA) em um dos três principais aeroportos internacionais da Ásia. Hoje, ele está ao lado as Torres Petronas, como uma das joias arquitetônicas da Malásia.
Projeto do arquiteto japonês Kisho Kurokawa, que incorporou influências do meio ambiente cultural e natural da Malásia, descrito como “uma união da cultura indígena e as formas abstratas do modernismo”. A primeira indicação disso é a estrutura do telhado, uma série de conchas parabolóide hiperbólica, que pairam acima do local como um aglomerado de cúpulas islâmicas. Este design elegante, feito em aço inoxidável, lembra a arquitetura de mesquitas fazendo uma síntese entre materiais modernos e a tradição cultural (a população da Malásia é 60% composta por muçulmanos). Seu projeto também inclui uma série de salas de oração para os devotos em todo o complexo.

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Tenha o melhor conteúdo sobre arquitetura e urbanização, atualizado e direto no seu e-mail.

Arquitetura para Supermercados: Rollout como tecnologia para expansão de redes

As tendências de consumo são reflexos da situação econômica…

Design for Disassembly: Para construir o futuro é preciso desconstruir

É isso mesmo que você leu: as construções do futuro serão…