Laghetto Viverone: quando a arquitetura de hotel gera valor para a marca

30 de maio de 2022Tempo de leitura: 5 minutos

O mais novo hotel da rede Laghetto Viverone, localizado na cidade de Canela, na Serra Gaúcha, tem a assinatura da VZ&CO. O conceito do projeto traduz a cultura e o aconchego da região, famosa por sua hospitalidade e um dos destinos turísticos mais visitados do país.

Em 2016, recebemos o convite da Forma Espaços — cliente com o qual já desenvolvemos outros projetos de arquitetura de hotel — para projetar um novo complexo para a rede Viverone. Para tanto, tivemos de unir um programa de necessidades bem arrojado, em um terreno repleto de desafios e, ainda, atender à legislação municipal, que nos trazia várias limitações.

O programa de necessidades buscava, além de um projeto de arquitetura de hotel, uma experiência completa de hospedagem em um espaço contemporâneo, multifuncional e ainda aconchegante, que traduzisse a experiência de hospedagem da Serra Gaúcha. Buscamos, através da escolha dos materiais, traduzir essa cultura que tanto se buscava: os tons de cinza remetem ao frio e a madeira traz o aconchego da hospitalidade.

Além da hospedagem, esse projeto de arquitetura de hotel contempla, no pavimento do acesso principal, espaços do lobby e vários lounges. Junto a estes, projetamos espaços de lazer como piscina térmica, espaço fitness, sauna, kids, jogos, além de um restaurante, um centro de convenções e ambientes com cobertura de vidro que fazem a ligação entre as torres na base.

O terreno possui um aclive de mais ou menos 4m, que foram totalmente aproveitados na proposta de projeto de arquitetura do hotel. Como tínhamos restrições de altura em função da legislação, aproveitamos o declive para criar áreas de subsolo semi-enterradas, viabilizando então o estacionamento e as áreas de serviço que não demandam conexão com o meio externo.

Todo o projeto de arquitetura do hotel foi desenvolvido através da metodologia BIM, que nos proporcionou elaborar estudos precisos e completos da topografia local. Conseguimos entender os volumes de escavação e aterro para definir, junto ao cliente, os níveis de projeto e custos de implantação.

Com os níveis validados, tivemos de realizar diversos estudos de layout que atendesse todo o programa de necessidades que a rede Laghetto Viverone exigia para o padrão desta arquitetura de hotel. Com isso, o projeto foi dividido em base e torres. Estas últimas foram divididas em três para atender tanto às exigências da legislação local quanto ao número de apartamentos necessários à operação do hotel. As torres abrigam os apartamentos, que são conectados através da base/térreo onde se encontram todas as áreas de lazer e recepção.

Soluções de projeto

Entre as soluções do projeto de arquitetura de hotel, podemos destacar algumas determinantes para a estratégia de aproveitamento máximo do terreno e de viabilidade para a obra:

Aproveitamento do aclive do terreno para concepção do subsolo

Tiramos partido da topografia do terreno, aliado às estratégias de setorização dos usos, deixando todas áreas de serviço no espaço menos nobre do terreno. Também mostramos ao cliente um estudo de custos de movimentações de terra, antes mesmo de a obra começar — uma análise que só foi possível pelo uso da metodologia BIM.

 Aproveitamento máximo das alturas limites da legislação

Como tínhamos uma limitação de altura em função da legislação municipal, realizamos o aproveitamento máximo das alturas permitidas no projeto de arquitetura do hotel. Nas áreas de sótão, sob o telhado, inserimos suítes com o madeiramento do telhado aparente. Tal solução proporciona um ambiente aconchegante, trazendo um ganho de áreas e uma experiência diferenciada ao hóspede, similar às residências da Serra Gaúcha. Esse aproveitamento foi fruto de muitos estudos no BIM em relação às alturas do telhado, respeitando os valores mínimos exigidos e o conforto dos usuários.

Tecnologias construtivas para reduzir o tempo de obra

Na base das torres tivemos de utilizar um sistema construtivo convencional com vigas, pilares e vedações em função dos grandes vãos exigidos pelos usos. Já nas torres, pela facilidade de modulação, conseguimos viabilizar o uso de alvenaria estrutural e steel frame no sótão — tecnologias construtivas que proporcionam uma maior velocidade e assertividade na obra, reduzindo os tempos de execução. Diversas compatibilizações foram realizadas no BIM para proporcionar essa conexão entre tecnologias construtivas diversas e modulações.

Coberturas leves na conexão entre torres

Para ampliarmos as áreas de lounge/lazer na base e ainda proporcionar a conexão entre as torres, coberturas metálicas foram projetadas para dar maior permeabilidade e leveza ao projeto. Essas coberturas foram pensadas de forma a criar espaços mais contemplativos e conectados ao ambiente externo, com o seu teto e painéis em vidro que permitem uma maior visualização sem contar com a ampliação da iluminação natural nesses espaços.

Planejando um conceito

Aconchego, conforto, experiência e a sensação de lar, esses foram os conceitos utilizados para criação da arquitetura de hotel do Laghetto Viverone Canela. Trazer aos hóspedes do hotel, uma experiência diferenciada e única, através da arquitetura. 

Pensamos em cada detalhe no projeto para que a arquitetura estivesse totalmente conectada a paisagem da Serra Gaúcha, criando espaços contemplativos, materialidades da região e que traduzisse essa experiência.

O conceito do projeto mescla o contemporâneo e a cultura através do uso de telhado, pele de vidro, grandes aberturas de vãos e tudo conectado em meio às cores que se mesclam à paisagem. Nossa maior preocupação foi sempre privilegiar o espaço onde estamos inseridos, respeitando o entorno. 

Projeto de interiores: Silvia Benedetti

Visão estratégica

A contratação da VZ&CO para a realização deste projeto de arquitetura de hotel agregou enorme valor ao Hotel Laghetto Viverone. Nossa equipe conseguiu ampliar a capacidade de hospedagem do empreendimento, aumentando, portanto, sua capacidade de gerar resultados.  Além disso, nossa experiência no mercado de varejo trouxe ao empreendimento uma visão mais estratégica de como potencializar a experiência do hóspede em espaços de uso comum, como o restaurante, as lojas de conveniência e os salões de eventos.

Para completar, o uso da metodologia BIM trouxe mais precisão para o projeto e assertividade para a obra. Um projeto de arquitetura de hotel que tem tudo para conquistar a Serra Gaúcha.

Projeto de interiores: Silvia Benedetti

 

GALERIA DE FOTOS


FICHA TÉCNICA

  • Nome do cliente: Forma Espaços
  • Projeto: Hotel Laghetto Viverone
  • Localização: Canela (RS)
  • Categoria: Hotel
  • Ano: 2020 Área: 11.389,57m²
  • Desafio: Criar um complexo hoteleiro multifuncional, que oferecesse uma experiência completa ao cliente, unindo hospedagem de alto padrão, comodidade, lazer, gastronomia e a possibilidade de participar/realizar grandes evento
  • Diferenciais: Projeto realizado dentro de um terreno em aclive, aproveitando ao máximo os espaços disponíveis; Adequação à legislação do município, prevendo o uso de telhados e de materiais originais da Serra, para combinar os elementos e traduzi-los em projeto de arquitetura de hotel contemporâneo e de destaque para a cidade; Além de projetar áreas de lazer aos hóspedes, o projeto de arquitetura do hotel também previu espaços para abrigar eventos de grande porte, com salas de convenções em um pavimento exclusivo.

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Tenha o melhor conteúdo sobre arquitetura e urbanização, atualizado e direto no seu e-mail.

Por que é tão importante entender o cliente do varejo?

Nada é mais frustrante para um cliente do que perceber que o…

Retrofit de shopping

O mercado de varejo, especialmente o dos shoppings centers, precisou…