Adaptando negócios tradicionais ao consumidor contemporâneo

29 de março de 2021Tempo de leitura: 6 minutos

No início de 2021 concluímos a entrega do projeto de arquitetura conceitual de uma loja de queijos tradicional no interior de Minas Gerais, na cidade de Monte Sião. Procurada por muitos turistas de passagem pela cidade pela qualidade dos seus queijos e doces, a loja apresentava alguns problemas que fizeram com o que o cliente procurasse a Vera Zaffari & Co para resolvê-los.

A queijaria Queijos Sônia foi fundada em 1954. Desde então, fábrica e loja estão locadas na mesma quadra na cidade. Como ponto tradicional, é procurada pelo público local e por turistas que chegam na loja em caravanas, lotando o espaço comercial em certos períodos do dia, até então com pouco mais de 100m². Um dos grandes problemas enfrentados era a enorme fila que se formava na saída, quando os clientes vinham em grandes grupos, tomando boa parte da área de vendas e fazendo também o cliente esperar.

Os proprietários da queijaria então procuraram a VZ&CO com o desejo de expandir a área da loja e readequar o layout, fazendo melhorias funcionais e também estéticas em toda a loja. Como premissa de projeto, foi solicitado a adição de um volume com cerca de 87m², tomando o espaço antes ocupado por uma área de acesso coberta e um pequeno depósito. Dessa forma, a partir da arquitetura, teriam a possibilidade de melhorar a velocidade do atendimento, aumentar e redistribuir o mix de produtos oferecidos e requalificar as áreas internas e externas, potencializando a tradição e qualidade do negócio.

 

Localização e fachadas 

A loja está localizada  na região central da cidade, mas ao mesmo tempo, está implantada em um lote no fim de uma rua sem saída. Por este motivo, a frente da loja não tem um movimento característico de centro comercial e seu acesso lateral acaba se justificando, o que foi mantido na redefinição dos acessos. A loja também se encontra no térreo de um sobrado que tem uso residencial no 2º pavimento. Como seria erguido um anexo na lateral da loja, foi proposto aos clientes redefinir a fachada original do sobrado, mantendo a comunicação visual da queijaria apenas no novo volume da fachada. Mesmo que internamente a loja ainda continuaria a ocupar o térreo, foi possível com essa estratégia de separação do volume existente propor uma composição de fachada mais adequada ao conceito que o cliente gostaria de passar aos clientes: qualidade e tradição. 

Foto da situação existente 

Imagem da proposição de fachada principal – VZ&CO 

 

Os acessos de clientes e veículos consolidaram-se pela lateral na nova proposta. O objetivo foi também potencializar a área verde onde hoje já abriga o mascote da marca e que futuramente contará com um projeto paisagísticooferecendo uma área de descanso aos clientes. Na fachada lateral, os acessos de pedestres e veículos foram separados, a rampa acessível foi reposicionada e foi prevista uma cobertura no acesso com a finalidade de abrigar os turistas que aguardam no lado externo pelo transporte que os leva de volta até o ônibus turístico, oferecido pela própria loja. 

Imagem da proposição de fachada lateral – VZ&CO 

 

Setorização e redefinição do layout 

A partir da definição dos acessos pela lateral, foi possível realocar o melhor posicionamento para a nova entrada, os caixas e, também, onde seriam oferecidos os principais produtos vendidos pela loja. Para organização do layout, partiu-se então de um núcleo de mobiliários disposto logo na entrada que serve como organizador do acesso e dchek-out. Esta ilha disponibiliza os cestos de compras e café cortesia, direciona os clientes a entrada à direita e, na parte posterior, dispõem os refrigeradores de sorvetes e bebidas logo no início da fila do caixa.  

Os principais produtos vendidos pela loja — queijos, doces e bebidas — foram dispostos em pontos estratégicos de modo que formassem uma tríade no espaço da loja, tendo em seu centro uma ilha onde é oferecida a degustação de queijos e venda de doces à granel. A estratégia foi manter os queijos no local original, no fundo da loja, para que os clientes tivessem contatos com outros produtos durante o percurso. Uma das premissas do cliente foi implantar um walk in cooler para substituir os refrigeradores de queijos existentes. Dessa forma, o equipamento foi instalado em uma parede com face para a área de depósito, o que facilita a reposição dos queijos sem que os colaboradores precisem entrar na área de vendas e não atrapalhem o fluxo de clientes. 

Conceito de interiores  

A intenção dos clientes era modernizar o interior da loja, mas mantendo um toque tradicional que passasse aos clientes uma sensação de conforto e aconchego de um ambiente com inspiração colonial. Além disso, desejavam manter alguns mobiliários de madeira existentes que foram considerados e incorporados ao novo conceito.

Dessa forma, o moodboard de acabamentos traz texturas em madeira, tijolo cerâmico e cimento para dar protagonismo aos materiais rústicos e com estética colonial. As cores da marca são apresentadas em menor intensidade, mas sem deixar de estarem presentes. Uma característica importante era ambientação do espaço que seria proporcionada em grande parte pela disposição de decoração de objetos antigos típicos.

Para a concepção dos interiores, partiu-se de parte do mobiliário existente que deveria ser mantido. Assim, volumetria e texturas das prateleiras foram mantidas como a do existente sendo anexado a elas painéis laterais em marcenaria em tom amadeirado claro, como forma de acabamento e renovação do existente. 

Para cada partição de prateleiras foi previsto um painel superior na cor amarelo da marca, onde foi posto o nome dos produtos oferecidos em cada setor. Esta exposição por categoria ajuda o cliente a ganhar tempo que, como turista, tem pouco tempo e precisa aproveitá-lo da melhor forma. 

Foto do interior da loja Existente 

Imagem do ambiente interno proposto da Queijos Sônia – VZ&CO 

Foram previstas ilhas com mesas em madeira rústica para exposição de produtos especiais. Com esse mobiliário mais baixo, foi possível dar maior amplitude às duas alas de vendas, servindo também para dar apoio a ambientação da loja, reforçando seu novo caráter

Também foram previstos ripados suspensos para as ilhasa fim de servir de apoio para ancorar elementos decorativos, e instalação de piso diferenciado com ladrilho hidráulico remetendo a estética colonial, como forma de deixar ainda mais marcante esses espaços de destaque. 

Na mesma linha doexpositores de produtos, o walk in cooler recebeu o revestimento amadeirado e o painel superior para colocação da comunicação visual. Já a ilha de degustação foi tratada com maior destaque, recebendo acabamento na cor amarela com o objetivo de chamar a atenção e funcionar como um ponto focal.  

Imagem do ambiente proposto para a Queijos Sônia 

Assim como os caixas, a parte superior da ilha recebeu uma estrutura metálica suspensa com o objetivo de destacar ainda mais esses espaços e servir para exposição de produtos e colocação de placas de comunicação e objetos de decoração. 

Imagem do ambiente proposto para a Queijos Sônia – VZ&CO 

Para a iluminação da loja foi prevista iluminação spot em toda a loja para foco diretamente nas gôndolas, alternada com pontos de luminárias de sobrepor para iluminação geral. Para os caixas e ilhas previu-se ainda a colocação de luminárias pendentes com desenho industrialEm todo o forro foi previsto a pintura em tom escuro dando ainda mais destaque para as gôndolas e elementos decorativos. 

Imagem do ambiente proposto para a Queijos Sônia – VZ&CO 

A realização desse projeto foi uma experiência certamente diferente para o escritório, não só por apresentar uma temática fora dos padrões de grandes redes de varejo pelo qual a VZ&CO é reconhecida, mas também pela dinâmica de trabalho mais próxima com o cliente. Tratando-se de uma loja familiar e de tradição na cidade, houve muita preocupação em melhorar a experiência do cliente no ambiente, mas sem que fosse deixada de lado a essência da marca, que vem sendo responsável por anos de sucesso na região. Assim, o projeto da loja Queijos Sônia aponta a versatilidade da equipe, que se mostrou muito determinada a enfrentar os novos desafios em novas escalas, visando entregar sempre o melhor resultado para o cliente. 

 

 

 

Compartilhe

Inscreva-se na nossa newsletter!

Tenha o melhor conteúdo sobre arquitetura e urbanização, atualizado e direto no seu e-mail.

Adaptando negócios tradicionais ao consumidor contemporâneo

No início de 2021 concluímos a entrega do projeto de arquitetura…

Mulheres pioneiras na Arquitetura e Tecnologia BIM

Antes de pensarmos em mulheres pioneiras em BIM precisamos olhar…