Posts

Projeto da VZA, arquitetura do Laghetto Viverone mescla passado e presente

Tempo de leitura: < 1 minuto

laghettoO modelo cosmopolita da arquitetura contemporânea, em harmonia com a herança cultural do casarão, está presente com destaque no interior do Hotel Laghetto Viverone, projeto da VZA – Vera Zaffari Arquitetura.

O complexo hoteleiro, que surgiu da proposta de revitalização de um casarão do início do século XX inventariado pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre, ganhou espaço na mídia com imagens destacando o prédio de entrada, que conserva a casa dos Micheletto. Entretanto, a parte externa da edificação é apenas parte da essência do Hotel. O restante do empreendimento destaca a harmonia do projeto de arquitetura comercial que mescla passado e presente com maestria.

Para expor essa faceta interna do empreendimento, o hotel disponibiliza um passeio virtual, para que curiosos, futuros hóspedes e outros interessados possam analisar a estrutura e a decoração elegante do Viverone Moinhos. Confira!

Guia destaca sustentabilidade na Arquitetura

Tempo de leitura: < 1 minuto

TetoVerdeA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea) lançou a versão eletrônica de seu Guia de Sustentabilidade na Arquitetura – Diretrizes de Escopo para Projetistas e Contratantes. Trata-se de um documento que visa alinhar, entre contratante e contratado, os principais tópicos que deverão ser abordados no desenvolvimento do projeto, desde o levantamento das condições locais e do entorno do terreno, até os parâmetros de conforto, manutenção, durabilidade dos componentes e vida útil da edificação.

O guia também tem como objetivo melhorar as condições de sustentabilidade no desenvolvimento de projetos de arquitetura e das cidades, além de reunir informações sobre a importância das políticas públicas para viabilizar a implementação eficaz das boas práticas na área.

Rede alemã recria ambientes de destinos de aventura

Tempo de leitura: < 1 minuto

RedeAlemãAntenada com as novas tendências do varejo mundial – proporcionais experiências inusitadas aos consumidores, utilizando a tecnologia e a arquitetura comercial -, a rede de lojas de artigos esportivos alemã Globetrotter simula as condições que os aventureiros encontrarão na natureza. 

Itens impermeáveis podem ser testados em uma cabine onde a água cai como se fosse chuva. Casacos e sacos de dormir especiais para a neve podem ser provados em um ambiente com temperatura negativa. Paredes de escalada podem ser usadas por quem quiser comprar materiais para a atividade e uma piscina que parece um pequeno lago fica disponível para os clientes que quiserem navegar com os caiaques à venda.

Veja mais: http://bit.ly/1jxXQRF .

 

 

Loja online de cosméticos inaugura loja física

Tempo de leitura: < 1 minuto

birchbox-localA Birchbox, que vende seus produtos via site, resolveu abrir sua primeira loja física. O espaço fica em Nova York, instalada em um duplex de 4,5 mil metros quadrados no bairro do Soho. Se na versão online a empresa envia amostras para os clientes – em caixas verdes para os homens e rosa para as mulheres -, na versão física haverá cabines para testar os cosméticos.

A loja, que terá cerca de 2.000 mercadorias à venda, além de cursos e produtos para testes, poderá ser mais uma concorrente direta da Sephora no mercado americano, que por lá já possui cerca de 300 unidades em operação.

Fundada em 2010 por Katia Beauchamp e Hayley Barna, duas ex-colegas do curso de administração em Havard, a Birchbox hoje disponibiliza dois mil produtos em seu portfólio.

Leia mais: http://nyti.ms/1iUsxRa.

 

Loja em Shangai inspira-se na obra de M.C. Escher

Tempo de leitura: < 1 minuto

escherÉ tempo de inventar e reinventar-se – e o varejo mundial vivencia especialmente esta onda. Em sua loja conceito instalada em Shangai, a marca Alter resolveu buscar nas artes plásticas a inspiração para sua arquitetura.

Conhecido por seus desenhos e gravuras que brincam com as percepções da perspectiva, M.C. Escher (1898-1972) aparece nas escadas exploradas pelo projeto da loja, que servem de tablados e prateleiras. Cores, materiais e recursos de iluminação contribuem para potencializar as ilusões de ótica típicas das obras do artista gráfico holandês. “Veja os produtos mais originais em um ambiente de tirar o fôlego”, anuncia a loja.

 

 

 

Inspiração para o varejo: Cabine de Tendências

Tempo de leitura: < 1 minuto

642-334-post_blog_evento_blogueiras_tendecia_look_primavera_verao,0Vera Zaffari destaca uma ação diferenciada da loja Pernambucanas, realizada em sua filial do Shopping Interlagos, em São Paulo. A partir da leitura das etiquetas escolhidas pelo consumidor, é feito o reconhecimento da peça. A ambientação do provador, chamado de Cabine de Tendências, traz o clima que mais tem a ver com a roupa escolhida. “É o varejo buscando gerar novas experiências no ponto de venda, coisa que o varejo digital não consegue gerar”, aponta Vera Zaffari.

A criação da ID mostra aos clientes da loja de onde vem a inspiração do look que ele escolheu para provar, trocando cenário, aroma e música de acordo com cada look detectado.

Veja a reação dos consumidores: http://bit.ly/1hnBC0b .

 

 

Visual da loja começa pela fachada

Tempo de leitura: < 1 minuto

luisSegundo dados do Sebrae, 81% das pessoas tomam a decisão de compra no ponto de venda, quando se deparam com o ambiente da loja, as disposições dos produtos na prateleira, a iluminação, o layout. Os números reforçam a ideia de que, mesmo com o advento do comércio on line, a loja física ainda é fundamental no processo de consumo, na atração e na fidelização do consumidor.

Nesse sentido, a fachada da loja é o cartão de visitas. De nada adianta ter um vasto mix de produtos e funcionários bem treinados se a fachada da sua loja não consegue atrair os clientes para dentro dela. Seja por excesso de informação ou falta de identidade, o ponto de venda não pode deixar de ser notado pelos consumidores – ou, por outro lado, espantá-los. Artifícios e ferramentas para tornar uma fachada funcional, eficiente e que mostre a personalidade e potencial da loja não faltam no mercado. Atente-se!

Sustentabilidade para conquistar o mercado

Tempo de leitura: < 1 minuto

lojasverdesAs principais redes de supermercados do Reino Unido têm apostado em programas agressivos de redução de emissão de carbono, usando a sustentabilidade como diferencial mercadológico. Companhias ambientalistas como a McKeever vêm trabalhando com os supermercadistas para conceber as próximas descobertas em design de lojas ecológicas, no maior clima de competição saudável – o que tem colocado os supermercados britânicos muito à frente de outros setores do varejo no quesito sustentabilidade.

A rede britânica Tesco, por exemplo, foi considerada a varejista mundial número um no combate às mudanças climáticas em função do seu projeto de descarte de carbono. Em 2010, inaugurou a primeira loja do mundo com emissão zero de carbono, em Ramsay, Cambridgeshire, na Inglaterra. E, desde então, abriu mais duas unidades, seguindo o mesmo padrão. Entre as ações, as filiais utilizam luz natural e placas solares para reduzir o custo de iluminação das lojas, além da água da chuva para a descarga dos banheiros e lavagem de carros.

Outro exemplo é a Sainsbury’s, cuja primeira ecoloja foi inaugurada há cerca de uma década. A rede utiliza um sistema, desenvolvido em parceria com uma empresa de petróleo, que direciona o calor gerado pelas unidades refrigeradas para 500 metros abaixo do solo, em uma série de pequenos túneis, que simultaneamente aquecem e esfriam as lojas.

Leia mais: http://bit.ly/1dxy2G3

 

Arquitetura comercial impulsiona vendas

Tempo de leitura: 2 minutos

nacional gramadoO investimento em tecnologia de ponta e automação no atendimento aos clientes nos Pontos de Venda (PDV) é uma realidade no varejo internacional e começa a chegar com tudo ao mercado brasileiro. Mas, além da instalação da tecnologia, é preciso criar uma infraestrutura adequada para acomodar as inovações em ambientes já conhecidos pelos clientes. Entra aí o desafio e as soluções da Arquitetura Comercial. “Adaptar o novo ao existente e orientar o cliente frente às novas tecnologias é uma missão para a Arquitetura Comercial, que também busca entender as novas formas de comportamento do consumidor. E passa a introduzir, em seus projetos, espaços e ambientações que geram novas experiências”, resume a arquiteta Vera Zaffari, expert no tema. É do escritório VZA l Vera Zaffari Arquitetura o projeto do supermercado Nacional na cidade de Gramado (RS), por exemplo (veja outros projetos clicando aqui).

Os ambientes no varejo devem proporcionar experiências inspiradoras ao consumidor, que busca autenticidade, conforto, praticidade e interatividade durante a compra. Nesse escopo, o investimento em Arquitetura Comercial pode contribuir para a melhoria do negócio. “Mas é preciso ter cuidado. O novo modelo deve seguir garantindo a identidade da marca e promovendo a permanência do público por mais tempo no PDV, situação que hoje compete com a experiência virtual”, ressalta Vera.

Assim, aproximar o envolvimento tátil e emocional garante pontos para o mercado varejista se destacar frente ao e-commerce. “As pessoas querem tocar, sentir, cheirar, experimentar, interagir, conviver, deixar-se encantar. É isto que faz com que uma pessoa queira ir à loja física”, afirma Vera Zaffari. Nesse sentido, o investimento em Arquitetura Comercial para o varejo pode contribuir para o avanço das vendas e garantir clientes mais satisfeitos.

Smartphones mudam a relação varejo-cliente

Tempo de leitura: < 1 minuto

smarthvarejoOs smartphones estão transformando a experiência de compra dos consumidores – e, consequentemente, o processo de venda dos varejistas do mundo todo. De acordo com a consultoria Forrester, 40% das vendas realizadas hoje nas lojas nos Estados Unidos são influenciadas por canais digitais, especialmente os telefones celulares.

Os exemplos são vários mas alguns se destacam. A loja de departamentos Macy’s é uma das 100 grandes varejistas americanas que testam uma tecnologia chamada iBeacon, da Apple. O sistema permite não só saber que determinado cliente entrou na loja como também oferecer dicas e alertas sobre promoções de acordo com a localização dele dentro do estabelecimento comercial.

De olho no varejo, a IBM testa um aplicativo que usa a câmera dos smartphones para mostrar informações sobre os produtos nos supermercados. É apontar a câmera do telefone para o produto para saber suas informações nutricionais e o preço de produtos simulares.