Posts

Fronteira entre lojas virtuais e físicas segue diminuindo

Tempo de leitura: < 1 minuto

Mkt03A inserção de objetos virtuais no ambiente físico, com o apoio de dispositivos tecnológicos, vem chegando aos poucos ao varejo nacional. O conceito tecnológico não é novo, mas ganha cada vez mais evidência com campanhas institucionais que promovem a relação real/virtual em um ambiente mais amplo de mercado. Além das lojas, ruas e espaços públicos também estão sendo repensados sob essa ótica. Assim, salões de beleza usam a realidade aumentada para simular cortes de cabelo, por exemplo. “As pessoas querem tocar, sentir, cheirar, experimentar, interagir, conviver, deixar-se encantar. É isto que faz com que uma pessoa queira ir à loja”, explica a arquiteta Vera Zaffari. Nesse sentido, o investimento em Arquitetura Comercial torna-se um diferencial que contribui para o avanço das vendas e a satisfação dos garantidas dos clientes.

Os ambientes no varejo devem proporcionar experiências inspiradoras ao consumidor, que busca autenticidade, conforto, praticidade e interatividade durante a compra. Nesse escopo, o investimento em Arquitetura Comercial contribui para a melhoria do negócio e a captação e fidelização de clientes.

Vitrine interativa e virtual

Tempo de leitura: < 1 minuto

adidasSeguindo a trilha da interação entre os ambientes virtual e offline atestado em grandes redes do varejo mundial, os supermercados britânicos Tesco instalaram vitrines virtuais em alguns aeroportos e estações de metrô. Por meio de uma espécie de tablets gigantes, os consumidores navegam entre os produtos que desejam comprar. Poucas horas depois, o produto escolhido é entregue na casa do cliente.

O clima de vitrine virtual segue em algumas lojas da marca esportiva Adidas, que passaram a funcionar mesmo quando estão fechadas. Uma vitrine interativa mostra os produtos que estão à disposição na loja. Para comprá-los basta tirar uma foto do código de barras, informar o endereço da entrega e aguardar o produto, no conforto de casa.

ATRAINDO O CONSUMIDOR COM TECNOLOGIA E INTERATIVIDADE

Tempo de leitura: 2 minutos

O conceito de “ponto-de-venda” mudou muito com o passar do tempo. Antigamente, apenas um balcão com um funcionário atrás, que atendia as necessidades dos clientes. Agora o mercado pede que o ambiente seja, além de agradável, interativo para atrair o consumidor.

Leia mais