Posts

Varejo sustentável: o case da rede de supermercado U

Tempo de leitura: 3 minutos

super_u_nc

O case do Supermercado U é um sucesso no quesito de sustentabilidade em grandes redes de varejo. Para o conglomerado francês, a preservação do meio ambiente começa desde a construção das lojas. Projetar prédios que consomem menos energia e água, e que são melhores integrados em seu ambiente, se tornou uma prioridade para a marca. Por isso, as unidades U têm investido em diferentes técnicas para reduzir consumo de energia, potencializar fontes renováveis e estimular o cuidado com o Meio Ambiente.

Para reduzir o consumo de energia na produção de frio – já que a refrigeração de produtos frescos como carnes e frios utiliza muita energia – o Super U de Machecoul tomou duas medidas:

  • Utilização de cortinas noturnas que impedem a passagem de luz para unidades de refrigeração durante à noite e aos finais de semana,  que assim poupam energia quando o estabelecimento se encontra fechado.
  • Instalação de armários de congelados com portas – que abrem e fecham – para reduzir a produção de frio.

Ao combinar estas duas técnicas, a loja diminuiu seu gasto de energia em 11% no primeiro ano!

Energia renovável

super-u-2132

(Crédito Dilvulgação)

Além da economia no processo de refrigeração, os novos operadores da rede procuram reduzir o consumo total de energia no próprio projeto das unidades. Para fazer isso, eles usam diferentes técnicas como clarabóias que permitem que a loja use luz natural em vez de luz elétrica; bombas de calor que extraem calor armazenado no ar e no chão para criar uma energia limpa; e Iluminação eficiente de energia. A coleta da água da chuva também são processos incentivados nos projetos dos mercados, já que essa é uma forma eficaz de solucionar a escassez de água.

Já certas unidades preferem trabalhar com energia solar. As superfícies dos telhados dos estabelecimentos, por exemplo, permitem uma grande produção de energia limpa. Um case desta escolha é o Super G Prissé em Saone et Loire, que instalou em seus telhados 2500m2 de painéis solares,garantido a produção de 125,00 KW por ano.

Para o dono da unidade, a medida parecia óbvia: “Ao criar a loja, eu decidi alugar o telhado à uma empresa especializada na instalação de células fotovoltaicas. Assim, o telhado da loja produz energia vendida a EDF (companhia elétrica francesa), que depois a redistribuí na região. Ou seja, a abordagem é ecológica e econômica. Por que não participar do nascimento de uma energia limpa e renovável se temos a oportunidade de fazê-la?”?

O exemplo do Hyper U Les Arcs em Argens

Com esses investimentos, o Hyper U Les Arcs em Argens consome em média 30% menos energia e 50% menos água do que uma loja padrão

O Hyper U Les Arcs em Argens consome em média 30% menos energia e 50% menos água do que uma loja padrão (Crédito Dilvulgação)

O Hyper U Les Arcs, além de todas técnicas já citadas acima, cumpre os mais recentes métodos para limitar o impacto da loja sobre o meio ambiente. Esta loja tem um baixo consumo energético como as outras, mas também foi construída para integrar-se melhorem seus arredores e limitar o seu impacto sobre a fauna e flora locais.

Durante a construção desta unidade, um estudo realizado por uma empresa especializada em sustentabilidade identificou as várias espécies de flora e fauna, além de apontar recomendações para preservá-los. Neste contexto, uma parceria foi iniciada com a Liga para a Proteção das Aves e as associações ambientais locais.

Quase 10 anos de planeamento foram necessários para desenvolver este projeto, que irá receber certificação HQE (sigla de Haute Qualité Environnementale, Alta Qualidade Ambiental em português). Esta é uma certificação emitida pela Associação HQE a edifícios com elevado desempenho ambiental. O Hiper Les Arcs em Argens ganhou essa distinção através de planeamento e investimentos em eco-construção, ecogestão, conforto e saúde. Esta certificação tem altas exigências e corresponde a um desempenho da geral loja na preservação do meio ambiente.

Informações retiradas do original em francês.

Lojista gaúchos em NYC

Tempo de leitura: < 1 minuto

A participação da Vera Zaffari Arquitetura na 103ª Convenção da National Retail Federation (NRF), maior feira de varejo do mundo, é destaque em nota publicada no Correio do Povo de hoje. A nota também cita outros membros da comissão gaúcha em Nova York para visitar a feira.

1544293_415715905224979_1193179688_n

VZA marca presença na maior convenção mundial de varejo

Tempo de leitura: 2 minutos

A 103ª Retail’s Big Show apresenta em Nova York tendências estratégicas do setor

O maior evento de varejo do mundo acontece em Nova York

O maior evento de varejo do mundo acontece em Nova York, entre 12 e 15 de janeiro (divulgação)

O escritório de arquitetura VZA | Vera Zaffari Arquitetura está entre as 50 empresas selecionadas pelo SEBRAE/RS para participar da missão empresarial da entidade que irá à103ª Convenção da National Retail Federation (NRF), maior convenção e feira do varejo mundial, que ocorre entre os dias 12 e 15 de janeiro, em Nova York (EUA).

A Retail’s Big Show coloca os empreendedores perante as últimas tendências do setor e proporciona a troca de experiência com grandes destaques varejistas internacionais, além de promover debate, conhecimento e análise de recentes tecnologias do segmento àqueles que buscam se destacar no mercado e construir um negócio do futuro.

Com vistas ao empreendedorismo gaúcho, o SEBRAE/RS, apoiado pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), selecionou 50 empreendedores gaúchos, que, além de atenderem aos requisitos da seleção, estavam mais alinhados com os objetivos da delegação do SEBRAE, para prospectar relações estratégicas e realizar atividades técnicas que possam contribuir para o crescimento do varejo local. Conforme a instituição, Micro e Pequenas Empresas representam 70% do setor de comércios e serviços atualmente.

img_ptg_2_1_1462

(divulgação)

O setor de comércio e serviços está relacionado com inúmeros fatores, como novidades tecnológicas e a modernização da arquitetura. “É fundamental estabelecer a correlação de que aquilo que impacta no varejo tem consequências na arquitetura das lojas. Assim, o importante é estarmos antenados às tendências para que possamos agregar valor aos nossos projetos”, esclarece Vera Zaffari, arquiteta e diretora da VZA | Vera Zaffari Arquitetura.

Durante o evento, a VZA buscará novas inspirações em arquitetura comercial para os projetos em varejo com os quais já atua e visitará cerca de 20 lojas de diferentes marcas, como Victoria’s Secret, Macy’s, Apple, Whole Foods Market e Best Buy. “Será uma experiência de grande valor para nós, uma vez que trabalhamos com empreendimentos que buscam viabilizar inovação e sustentabilidade ao projeto arquitetônico”, comenta Vera Zaffari.

Mais de 27 mil participantes devem passar pela 103ª Convenção da National Retail Federation onde serão abordados temas como gestão financeira, tecnologia da informação, sustentabilidade, design de lojas, marketing e comércio eletrônico. Além de workshops e apresentação de cases, o evento conta com palestras de CEOs de grandes marcas, entre elas IBM e Macy’s e de alguns brasileiros, como o CEO da Chilli Beans.